Facebook
Instagram

Amsterdã – Muito além das bicicletas

Ah, Amsterdã… Provavelmente você já conhece a imagem mais básica de Amsterdã como cidade das bicicletas. De fato as bikes são muito importantes para a mobilidade e para a vida da cidade, mas Amsterdã é muito mais do que meramente a cidade das bicicletas - ou mesmo das tulipas e do pintor Van Gogh. Certamente, tudo isso compõe a alma deste lugar, mas Amsterdã é mesmo dotada de um charme próprio, uma história que a levou ser essa cidade que é hoje. Andar pelas ruas é caminhar pela história.

Amsterdã nasceu e se expandiu numa estrutura de cidade formada por anéis entrecortados por canais. Vencer as distâncias através dos barcos ou das pontes foi algo natural na construção desta cidade. A arquitetura das zonas históricas é um atrativo à parte. Edifícios de 5 pavimentos aproximadamente, sem recuos nas laterais formam um desenho de paisagem peculiar. A mistura das cores diferentes de tijolos, das madeiras das janelas, os detalhes dos ornamentos, dá a Amsterdã características únicas. Daquelas paisagens que só poderiam acontecer ali e não se repetem mais.

Foto: Koen Smilde

De volta às bikes, sim, elas estão por toda a parte! Uma das coisas mais incríveis em Amsterdã é a relação entre o pedestre e a cidade. Tudo respeita uma escala muito agradável. Os edifícios não são altos demais a ponto de sufocar o trajeto pelas ruas. O caminhar é agradável, e, sem dúvidas, o passeio de bicicleta é divertido! Lá elas são assunto sério mesmo e, assim como qualquer outro meio de transporte, deve seguir regras. Mas a população já está acostumada com os turistas aventureiros que estão aprendendo. Uma dica: em Amsterdã há várias empresas que alugam bikes para turistas. Você pode alugar uma por um período e depois devolvê-las. As ciclovias levam a todos os lugares e para os pontos mais distantes, se faltar fôlego, você pode pegar o VLT. Neles é possível transportar inclusive sua bicicleta.

Já que falamos nele, que tal um passeio de VLT? Saindo da zona histórica antiga de Amsterdã e seguindo para as docas leste você conhecerá uma Amsterdã contemporânea, com uma arquitetura especial. As docas foram construídas para atender ao comércio com a Indonésia, então colônia holandesa. Mas, após a Segunda Guerra Mundial, o declínio das relações comerciais com o oriente levaram as docas leste ao esvaziamento. O primeiro plano de revitalização surgiu em 1975, mas não saiu do papel.  Nos anos 80, a crescente demanda por habitações sociais e para a classe média despertou uma mudança na área que passou a receber investimentos.

Python Bridge

As penínsulas de Borneo e Sporenburg foram reurbanizadas seguindo o conceito dos superblocos, que são como edifícios multifuncionais, a exemplo do The Whale. Os arquitetos do West 8 foram os responsáveis pelo projeto urbano desta área e também planejaram a conexão entre as penínsulas através de duas pontes. Vale a visita em especial para arquitetos e estudantes de arquitetura. Andar por esta região com olhos atento vale por muitas aulas de projeto e planejamento urbano. Reserve um dia para conhecer Borneo-Sporenburg.

Vista de Borneo-Sporenburg.

Aliás, Amsterdã está tão inserida nas discussões sobre arquitetura que montou um centro para atender turistas e apaixonados por arquitetura, o ARCAM. Lá você consegue informações sobre passeios específicos, localização dos edifícios num guia completíssimo e pode tirar muitas outras dúvidas.

Pegando o VLT de volta ao centro histórico, não deixe de visitar o Vondelpark. É um ótimo lugar para andar de bicicleta, relaxar, fazer uma caminhada e observar como a população de Amsterdã gosta de curtir a vida. 

‍ Vondelpark.

A poucos metros dali, não deixe a Museumplein - ou a Praça dos Museus - de fora do roteiro. Caminhar pela praça cercada de museus já é por si só um passeio gostoso. Nas áreas gramadas sempre tem gente praticando esportes, além os bares e restaurantes ao redor e, no inverno, neste local fica montada a pista de patinação da cidade. 

Museumplein.

Para quem quiser curtir os museus estará no lugar certo! Ao redor da praça ficam o Van Gogh MuseumRijksmuseum e Stedelijk Museum. Entretanto, prepare os bolsos. Amsterdã tem poucas atrações gratuitas, para não dizer quase nenhuma. Portanto,  se programe para poder curtir tudo ao máximo. 

Van Gogh Museum.
 Rijksmuseum.
Stedelijk Museum.
Ver todas as postagens
Booking.com

CONTATO




Telefone: +55 65 99219 4444
E-mail: arqface.contato@gmail.com



Brasil

Desenvolvido por mmebarquitetos

Amsterdã – Muito além das bicicletas

Ah, Amsterdã… Provavelmente você já conhece a imagem mais básica de Amsterdã como cidade das bicicletas. De fato as bikes são muito importantes para a mobilidade e para a vida da cidade, mas Amsterdã é muito mais do que meramente a cidade das bicicletas - ou mesmo das tulipas e do pintor Van Gogh. Certamente, tudo isso compõe a alma deste lugar, mas Amsterdã é mesmo dotada de um charme próprio, uma história que a levou ser essa cidade que é hoje. Andar pelas ruas é caminhar pela história.

Amsterdã nasceu e se expandiu numa estrutura de cidade formada por anéis entrecortados por canais. Vencer as distâncias através dos barcos ou das pontes foi algo natural na construção desta cidade. A arquitetura das zonas históricas é um atrativo à parte. Edifícios de 5 pavimentos aproximadamente, sem recuos nas laterais formam um desenho de paisagem peculiar. A mistura das cores diferentes de tijolos, das madeiras das janelas, os detalhes dos ornamentos, dá a Amsterdã características únicas. Daquelas paisagens que só poderiam acontecer ali e não se repetem mais.

Foto: Koen Smilde

De volta às bikes, sim, elas estão por toda a parte! Uma das coisas mais incríveis em Amsterdã é a relação entre o pedestre e a cidade. Tudo respeita uma escala muito agradável. Os edifícios não são altos demais a ponto de sufocar o trajeto pelas ruas. O caminhar é agradável, e, sem dúvidas, o passeio de bicicleta é divertido! Lá elas são assunto sério mesmo e, assim como qualquer outro meio de transporte, deve seguir regras. Mas a população já está acostumada com os turistas aventureiros que estão aprendendo. Uma dica: em Amsterdã há várias empresas que alugam bikes para turistas. Você pode alugar uma por um período e depois devolvê-las. As ciclovias levam a todos os lugares e para os pontos mais distantes, se faltar fôlego, você pode pegar o VLT. Neles é possível transportar inclusive sua bicicleta.

Já que falamos nele, que tal um passeio de VLT? Saindo da zona histórica antiga de Amsterdã e seguindo para as docas leste você conhecerá uma Amsterdã contemporânea, com uma arquitetura especial. As docas foram construídas para atender ao comércio com a Indonésia, então colônia holandesa. Mas, após a Segunda Guerra Mundial, o declínio das relações comerciais com o oriente levaram as docas leste ao esvaziamento. O primeiro plano de revitalização surgiu em 1975, mas não saiu do papel.  Nos anos 80, a crescente demanda por habitações sociais e para a classe média despertou uma mudança na área que passou a receber investimentos.

Python Bridge

As penínsulas de Borneo e Sporenburg foram reurbanizadas seguindo o conceito dos superblocos, que são como edifícios multifuncionais, a exemplo do The Whale. Os arquitetos do West 8 foram os responsáveis pelo projeto urbano desta área e também planejaram a conexão entre as penínsulas através de duas pontes. Vale a visita em especial para arquitetos e estudantes de arquitetura. Andar por esta região com olhos atento vale por muitas aulas de projeto e planejamento urbano. Reserve um dia para conhecer Borneo-Sporenburg.

Vista de Borneo-Sporenburg.

Aliás, Amsterdã está tão inserida nas discussões sobre arquitetura que montou um centro para atender turistas e apaixonados por arquitetura, o ARCAM. Lá você consegue informações sobre passeios específicos, localização dos edifícios num guia completíssimo e pode tirar muitas outras dúvidas.

Pegando o VLT de volta ao centro histórico, não deixe de visitar o Vondelpark. É um ótimo lugar para andar de bicicleta, relaxar, fazer uma caminhada e observar como a população de Amsterdã gosta de curtir a vida. 

‍ Vondelpark.

A poucos metros dali, não deixe a Museumplein - ou a Praça dos Museus - de fora do roteiro. Caminhar pela praça cercada de museus já é por si só um passeio gostoso. Nas áreas gramadas sempre tem gente praticando esportes, além os bares e restaurantes ao redor e, no inverno, neste local fica montada a pista de patinação da cidade. 

Museumplein.

Para quem quiser curtir os museus estará no lugar certo! Ao redor da praça ficam o Van Gogh MuseumRijksmuseum e Stedelijk Museum. Entretanto, prepare os bolsos. Amsterdã tem poucas atrações gratuitas, para não dizer quase nenhuma. Portanto,  se programe para poder curtir tudo ao máximo. 

Van Gogh Museum.
 Rijksmuseum.
Stedelijk Museum.
Ver todas as postagens

CONTATO

Telefone: +55 65 99219 4444
E-mail: arqface.contato@gmail.com

Brasil

MMEB arquitetos
Facebook
Instagram
MMEB arquitetos