Facebook
Instagram

Lisboa

Ah, Lisboa… Você nem precisa tocar o chão para se encantar com esta cidade.

Lisboa está repleta de museus, palácios e monumentos por todos os lados. Ainda do alto, na descida do avião, é possível ver o desenho da cidade e já ficar se perguntando “O que é isso? E aquilo ali?”. Essa cidade que é história pura teve sua paisagem transformada pelo tempo, e, principalmente, pelo terremoto ocorrido no ano 1775. Grande parte da cidade baixa antiga ficou devastada e houve milhares de mortes. Numa empreitada pra lá de ambiciosa, o Marquês de Pombal (sim, aquele dos livros de história!) tomou como missão a reconstrução de Lisboa. Assim, do tortuoso traçado medieval da cidade antiga (que virou cinzas), surgiu uma Lisboa com um desenho regular e geométrico, que simplificava o caminhar das pessoas pelas ruas e o fluxo de cargas até a Praça do Comércio. E é essa a Lisboa que conhecemos hoje.

‍Artista na Rua Augusta, na Baixa. Foto: Eloisa Agiani, 2013.

Nessa paisagem encantadora as construções mais baixas de ares renascentistas se misturam aos edifícios mais antigos dos tempos medievais. As cores claras do casario formam uma aquarela no verão quando se mesclam com o céu azul e o pontilhado das calçadas portuguesas. Vale a pena se perder por estes caminhos e visitar a Praça Dom Pedro IV, a estação do Rossio e o Teatro D. Maria II. Além da arquitetura, você pode apreciar os bares e restaurantes que rodeiam a praça. De lá, seguindo pela Rua do Ouro, você chega à estonteante Praça do Comércio. Reserve algum tempo para andar por lá e contemplar os detalhes. Você não vai se arrepender! 

Praça do Comércio.

Aos amantes da literatura, aproveitem e visitem a Fundação Saramago. Aos apaixonados por moda,design e arquitetura, não percam o MUDE, Museu do Design e da Moda, bem na Rua Augusta. 

‍‍Rua Augusta vista dos arcos da Praça do Comércio. 

Saindo da Baixa e subindo para os bairros do Chiado e Bairro Alto (haja fôlego!), estarão os famosos elétricos de Lisboa. Você pode subir à pé pelos becos e escadarias, mas também pode subir pelo elétrico* curtindo os inúmeros grafites espalhados nas paredes. Vá também até o bairro da Alfama (do outro lado da Baixa) e se divertirá no lugar mais boêmio de Lisboa, cheio de bares com vista para o Tejo! 

Elétrico.

Entre um passeio e outro, reserve um dia para ir à Belém. Os apaixonados por arquitetura terão um motivo mais que especial para esta visita. Ir a Belém é uma viagem desde a arquitetura moura do Mosteiro do Jerônimos e da Torre de Belém até construções mais novas como o Padrão dos Descobrimentos, Centro Cultural Belém - onde é possível petiscar doces e comidinhas típicas nos dias de feira - e o Museu dos Coches, projetado pelo arquiteto paulistano Paulo Mendes da Rocha. Encerre o dia provando os famosos Pastéis de Belém. Vale a visita à pastelaria mais conhecida de Portugal! Para ir à Belém é muito simples. Saindo da Praça do Comércio em Lisboa, siga caminhando para o Cais do Sodré e lá pegue o comboio para Belém. 

‍Vista do pátio interno do Mosteiro dos Jerônimos. Foto: Eloisa Agiani, 2013. 
Torre de Belém.

Mas Lisboa está longe de ser uma cidade apenas de zonas históricas. Sua faceta contemporânea está no complexo do Parque das Nações. Esta área era um antigo lixão em Lisboa e foi completamente transformada para abrigar uma série de eventos em 1998. É possível chegar lá de comboio ou pelo metro na estação Oriente. Atrações não faltarão! Você pode passear livremente pelo Parque das Nações, visitar o Pavilhão do Conhecimento, fazer comprar no Shopping Vasco da Gama e comer em um dos inúmeros restaurantes da Alameda dos Oceanos. Mas sem dúvidas, o que você não pode deixar de conhecer é o Oceanário de Lisboa! Prepare-se para virar criança novamente e se render às belezas e curiosidades desse lugar!

‍Área dos pinguins no Oceanário de Lisboa. Foto: Eloisa Agiani, 2013.

Pensando bem, depois de estar em Lisboa, não haverá sequer um só lugar ou sabor ao qual você não se renderá completamente.

*Consulte aqui as tarifas para os elétricos, metrô e comboios em Lisboa: http://carris.transporteslisboa.pt.

 

Vale a visita :) ! Confira os horários e preços:

1.    Padrão dos Descobrimentos 

  http://www.padraodosdescobrimentos.pt/pt/visitar/precos-e-modo-de-pagamento/.

 

2.    Centro Cultural Belém

https://www.ccb.pt/Default/pt/Inicio

 

3.    Fundação Saramago

http://www.josesaramago.org/.

 

4.    Mosteiro dos Jerônimos e Torre de Belém

http://www.mosteirojeronimos.pt/pt/index.php?s=white&pid=175&identificador=

 

5.    Museu dos Coches

http://museudoscoches.pt/pt/

 

6.    Pastéis de Belém

http://pasteisdebelem.pt/en/

 

7.    Oceanário de Lisboa

https://www.oceanario.pt/

 

8.    Pavilhão do Conhecimento

http://www.pavconhecimento.pt/visite-nos/bilheteira/

 

9.    Castelo de São Jorge

http://castelodesaojorge.pt/pt/

 

10.  Museu de Moda e Design

http://www.mude.pt/

 

Ver todas as postagens
Booking.com

CONTATO




Telefone: +55 65 99219 4444
E-mail: arqface.contato@gmail.com



Brasil

MMEB arquitetos

Lisboa

Ah, Lisboa… Você nem precisa tocar o chão para se encantar com esta cidade.

Lisboa está repleta de museus, palácios e monumentos por todos os lados. Ainda do alto, na descida do avião, é possível ver o desenho da cidade e já ficar se perguntando “O que é isso? E aquilo ali?”. Essa cidade que é história pura teve sua paisagem transformada pelo tempo, e, principalmente, pelo terremoto ocorrido no ano 1775. Grande parte da cidade baixa antiga ficou devastada e houve milhares de mortes. Numa empreitada pra lá de ambiciosa, o Marquês de Pombal (sim, aquele dos livros de história!) tomou como missão a reconstrução de Lisboa. Assim, do tortuoso traçado medieval da cidade antiga (que virou cinzas), surgiu uma Lisboa com um desenho regular e geométrico, que simplificava o caminhar das pessoas pelas ruas e o fluxo de cargas até a Praça do Comércio. E é essa a Lisboa que conhecemos hoje.

‍Artista na Rua Augusta, na Baixa. Foto: Eloisa Agiani, 2013.

Nessa paisagem encantadora as construções mais baixas de ares renascentistas se misturam aos edifícios mais antigos dos tempos medievais. As cores claras do casario formam uma aquarela no verão quando se mesclam com o céu azul e o pontilhado das calçadas portuguesas. Vale a pena se perder por estes caminhos e visitar a Praça Dom Pedro IV, a estação do Rossio e o Teatro D. Maria II. Além da arquitetura, você pode apreciar os bares e restaurantes que rodeiam a praça. De lá, seguindo pela Rua do Ouro, você chega à estonteante Praça do Comércio. Reserve algum tempo para andar por lá e contemplar os detalhes. Você não vai se arrepender! 

Praça do Comércio.

Aos amantes da literatura, aproveitem e visitem a Fundação Saramago. Aos apaixonados por moda,design e arquitetura, não percam o MUDE, Museu do Design e da Moda, bem na Rua Augusta. 

‍‍Rua Augusta vista dos arcos da Praça do Comércio. 

Saindo da Baixa e subindo para os bairros do Chiado e Bairro Alto (haja fôlego!), estarão os famosos elétricos de Lisboa. Você pode subir à pé pelos becos e escadarias, mas também pode subir pelo elétrico* curtindo os inúmeros grafites espalhados nas paredes. Vá também até o bairro da Alfama (do outro lado da Baixa) e se divertirá no lugar mais boêmio de Lisboa, cheio de bares com vista para o Tejo! 

Elétrico.

Entre um passeio e outro, reserve um dia para ir à Belém. Os apaixonados por arquitetura terão um motivo mais que especial para esta visita. Ir a Belém é uma viagem desde a arquitetura moura do Mosteiro do Jerônimos e da Torre de Belém até construções mais novas como o Padrão dos Descobrimentos, Centro Cultural Belém - onde é possível petiscar doces e comidinhas típicas nos dias de feira - e o Museu dos Coches, projetado pelo arquiteto paulistano Paulo Mendes da Rocha. Encerre o dia provando os famosos Pastéis de Belém. Vale a visita à pastelaria mais conhecida de Portugal! Para ir à Belém é muito simples. Saindo da Praça do Comércio em Lisboa, siga caminhando para o Cais do Sodré e lá pegue o comboio para Belém. 

‍Vista do pátio interno do Mosteiro dos Jerônimos. Foto: Eloisa Agiani, 2013. 
Torre de Belém.

Mas Lisboa está longe de ser uma cidade apenas de zonas históricas. Sua faceta contemporânea está no complexo do Parque das Nações. Esta área era um antigo lixão em Lisboa e foi completamente transformada para abrigar uma série de eventos em 1998. É possível chegar lá de comboio ou pelo metro na estação Oriente. Atrações não faltarão! Você pode passear livremente pelo Parque das Nações, visitar o Pavilhão do Conhecimento, fazer comprar no Shopping Vasco da Gama e comer em um dos inúmeros restaurantes da Alameda dos Oceanos. Mas sem dúvidas, o que você não pode deixar de conhecer é o Oceanário de Lisboa! Prepare-se para virar criança novamente e se render às belezas e curiosidades desse lugar!

‍Área dos pinguins no Oceanário de Lisboa. Foto: Eloisa Agiani, 2013.

Pensando bem, depois de estar em Lisboa, não haverá sequer um só lugar ou sabor ao qual você não se renderá completamente.

*Consulte aqui as tarifas para os elétricos, metrô e comboios em Lisboa: http://carris.transporteslisboa.pt

 

Vale a visita :) ! Confira os horários e preços:

1.    Padrão dos Descobrimentos 

  http://www.padraodosdescobrimentos.pt/pt/visitar/precos-e-modo-de-pagamento/

 

2.    Centro Cultural Belém

https://www.ccb.pt/Default/pt/Inicio

 

3.    Fundação Saramago

http://www.josesaramago.org/

 

4.    Mosteiro dos Jerônimos e Torre de Belém

http://www.mosteirojeronimos.pt/pt/index.php?s=white&pid=175&identificador=

 

5.    Museu dos Coches

http://museudoscoches.pt/pt/

 

6.    Pastéis de Belém

http://pasteisdebelem.pt/en/

 

7.    Oceanário de Lisboa

https://www.oceanario.pt/

 

8.    Pavilhão do Conhecimento

http://www.pavconhecimento.pt/visite-nos/bilheteira/

 

9.    Castelo de São Jorge

http://castelodesaojorge.pt/pt/

 

10.  Museu de Moda e Design

http://www.mude.pt/

 

Ver todas as postagens

CONTATO

Telefone: +55 65 99219 4444
E-mail: arqface.contato@gmail.com

Brasil

MMEB arquitetos
Facebook
Instagram
MMEB arquitetos